Principais conceitos

O que são vacinas e como agem no organismo

As vacinas são o meio mais seguro e eficaz de nos protegermos contra certas doenças infecciosas, e são obtidas a partir de partículas do próprio agente agressor, sempre na forma atenuada (enfraquecida) ou inativada (morta).

Quando nosso organismo é atacado por um vírus ou bactéria, nosso sistema imunológico — de defesa — dispara uma reação em cadeia com o objetivo de frear a ação desses antígenos (substância estranha ao organismo que desencadeia a produção de anticorpos). Infelizmente, nem sempre essa ‘operação’ é bem-sucedida e, quando ocorre essa falha na defesa, ficamos doentes.

O que as vacinas fazem é se passarem por agentes infecciosos de forma a estimular a produção de nossas defesas, por meio de anticorpos específicos contra o “inimigo”. Assim, elas ensinam o nosso organismo a se defender de forma eficaz. Aí, quando o ataque de verdade acontece, a defesa é reativada por meio da memória do sistema imunológico. É isso que vai fazer com que a ação inimiga seja muito limitada ou, como acontece na maioria das vezes, totalmente eliminada, antes que a doença se instale.

Vacina Atenuada

São vacinas que usam como base principal agentes infecciosos vivos, mas extremamente enfraquecidos. Sua inserção no corpo humano aciona o sistema imunológico, que combate essa pequena infecção induzida e cria a chamada memória imune, protegendo o indivíduo contra essa doença em caso de infecção com carga viral ou bacteriana completa. Em pessoas com o sistema imunológico saudável, reações adversas são extremamente raras e, quando ocorrem, são brandas e de curta duração.

Vacina Inativada

São vacinas que usam agentes mortos, alterados, ou apenas partículas deles. Todos são chamados de antígenos e têm como função reduzir ao máximo o risco de infecção ao estimular o sistema imune a produzir anticorpos, de forma semelhante ao que acontece quando somos expostos aos vírus e bactérias, porém, sem causar doença.

Podemos dizer que as vacinas inativadas “enganam” o sistema imune. O corpo, ao entender que aquilo representa um perigo real, inicia o combate a esse invasor, resultando num processo de proteção semelhante ao das vacinas atenuadas.

Vacina Combinada

As vacinas combinadas são aquelas que oferecem proteção para mais de uma doença com a aplicação de uma única injeção. Elas substituem as aplicações separadas de vacinas, tornando o processo mais prático.

O melhor exemplo de vacina combinada é a hexavalente (hexa = 6) que conferem proteção contra seis doenças: Difteria, Tétano, Coqueluche, Poliomielite, Haemophilus influenzae tipo b, e também a Hepatite B.

Vacina Conjugada

As vacinas conjugadas são produzidas para combater diferentes tipos de doenças causadas por bactérias chamadas encapsuladas (que possuem capa protetora em torno da sua estrutura celular, o que garante maior resistência da bactéria contra o sistema de defesa imunológico humano).

A existência dessas cápsulas que envolvem esse tipo de bactéria dificulta nosso corpo produzir uma boa resposta do sistema de defesa, particularmente em crianças menores de 2 anos de idade. Em maiores de 2 anos a proteção conferida tem curta duração (3 a 5 anos).

Para melhorar nosso sistema de defesa é preciso que na formulação da vacina se conjugue a esse componente da cápsula protetora, uma proteína carreadora a fim de produzir uma resposta imunológica mais eficaz e induzir memória duradoura.

São exemplos de vacinas conjugadas as vacinas contra pneumococo, meningococo do grupo C e Haemophilus influenzae tipo B

Vacinação Simultânea

É a aplicação de mais de uma injeção, em diferentes locais no corpo. Esse recurso permite diminuir o trauma ao paciente quando da vacinação. Para isso, por exemplo, um profissional aplica uma vacina na perna direita, enquanto outro profissional, simultaneamente, aplica outra vacina na perna esquerda.

Evento adverso

Evento adverso, como a palavra já diz, é um evento. Algo que aconteceu com uma coincidência temporal à aplicação da vacina e precisa ser investigado. Por exemplo, o indivíduo recebeu a aplicação de uma vacina e desmaiou. Nesse caso, há necessidade de se investigar para saber se foi um fato provocado pelo imunizante. Na grande maioria das vezes não se encontra essa relação causal.

Efeito Adverso

Efeito prejudicial ou indesejável que ocorre durante ou após o uso de uma vacina ou medicamento, em que há possibilidade razoável de relação causal entre a droga e o efeito.

Reação Adversa

É qualquer resposta prejudicial ou indesejável, não intencional, a uma vacina ou medicamento, que ocorre nas doses usualmente empregadas no homem para profilaxia, diagnóstico, terapia da doença ou para a modificação de funções fisiológicas. A Reação Adversa é caracterizada pela existência de uma relação causal específica entre a droga e a ocorrência.

Imunocentro – Especialidades médicas

Vacina | Alergia | Pediatria em Brasília

Imunocentro Brasília - Alergias

Alergia

Asma em crianças e adultos
Rinite e sinusite
Conjuntivite alérgica
Dermatite atópica e dermatite de contato

Alergia alimentar
Alergia a medicamentos
Hipersensibilidade à picada de insetos
Imunodeficiências primárias

Imunocentro Brasília - Pediatria

Pediatria

Asma em crianças e adolescentes
Alergia em crianças e adolescentes
Anemia em crianças e adolescentes

Doenças respiratórias em crianças e adolescentes
Infecções de ouvido em crianças e adolescentes

Imunocentro Brasília - Vacina

Vacina

Vacina para prematuros
Vacina para crianças
Vacina para adolescentes
Vacina para adultos
Vacina para gestantes

Vacina para idosos
Vacina para viajantes
Vacina para empresas
Vacina contra HPV
Vacina contra febre amarela

Menu